Please disable Ad Blocker before you can visit the website !!!

Cenário econômico aquece setor de locação comercial em SP

by Lello Imóveis   ·  2 anos ago  
thumbnail

O cenário econômico atual, de lenta retomada econômica, mas com desemprego ainda em níveis altos, tem ajudado a aquecer o setor de locação comercial de imóveis em São Paulo.

A Lello, administradora e imobiliária paulistana com 18 lojas espalhadas pela capital paulista, identificou um aumento de 63% no número de contratos de aluguel desse tipo fechados de janeiro a setembro deste ano, na comparação com o mesmo período de 2016.

Ao mesmo tempo houve queda de 20,7% no tempo em que os imóveis comerciais disponibilizados para locação levam para serem alugados, que em 2016 era de 106 dias e neste ano passou para 84.
Um conjunto de fatores, segundo avaliação da Lello, ajuda a explicar a situação. “Além da melhoria dos indicadores da economia, que estimulam a abertura de novos negócios, há ainda pessoas que ficaram desempregadas e decidem abrir seu próprio negócio e também casos de empresas que trocaram de imóvel buscando um maior ou menor”, afirma Roseli Hernandes, diretora de Locação da Lello Imóveis.

Conforme levantamento da imobiliária, do total de imóveis comerciais negociados pela empresa, 30% foram casas comerciais, e outros 29%, salas/ conjuntos. Na sequência vieram as lojas, com 13% do total de novos contratos, os salões, com 12%, os galpões, com 7%, e os prédios comerciais, com 3%. Os restantes 6% ficaram para terrenos, sobrelojas e outros.

O tempo de vacância (período entre a oferta no mercado e o fechamento do contrato) das lojas é o menor, de 51 dias, seguido das casas comerciais, que é de 60 dias. Os prédios comerciais levam em torno de 64 dias para serem alugados. No caso das salas e conjuntos o tempo médio fica em 83 dias. Já os salões têm tempo de vacância de 132 dias, em média.

“Para quem deseja alugar um imóvel comercial, a oportunidade é agora, pois há um bom estoque de ofertas e os proprietários estão bastante flexíveis na negociação do valor do aluguel e outras condições”, conclui Roseli.

Veja também : Onde é mais “barato e mais caro” de morar em SP

 

 

Créditos Exame