Please disable Ad Blocker before you can visit the website !!!

Confira matéria publicada no Estadão – O que fazer (e não fazer) ao tentar vender seu imóvel

by Lello Imóveis   ·  3 semanas ago  

Vender um imóvel é um desafio nos tempos atuais. Com a economia mostrando sinais tímidos de aquecimento, o mercado imobiliário tentando retomar o ritmo de crescimento e uma grande oferta de unidades à venda, para ter sucesso nesse processo é preciso ter boas estratégias. Conversamos com especialistas do mercado para reunir dicas que podem ajudar na venda do seu imóvel, mesmo em tempos difíceis.

Cuide da documentação
Número de matrícula do imóvel, escritura definitiva, comprovantes de quitação de impostos e do condomínio são alguns dos documentos que devem estar em ordem para que seja dado o pontapé inicial no processo de venda, tornando-o mais rápido.

Número de matrícula do imóvel, escritura definitiva, comprovantes de quitação de impostos e do condomínio são alguns dos documentos que devem estar em ordem para que seja dado o pontapé inicial no processo de venda, tornando-o mais rápido.

“Muitas vezes o proprietário fez uma ampliação na casa e não registrou na prefeitura. Isso acaba sendo um impedimento na hora da venda”, conta Nelson Parisi Júnior, presidente da Rede Imobiliária Secovi.

Seja racional ao precificar
Para Clarissa Vieira, diretora de tecnologia da Keycash, startup que atua na compra e venda de imóveis, a negociação ainda é feita de forma emocional. “Tem muita gente que fez diversas melhorias no imóvel e quer colocar o preço nas alturas. Nem sempre quem vai comprar o imóvel tem o mesmo gosto do vendedor.”

Igor Freire, diretor de vendas da Lello Imóveis, aconselha uma pesquisa sobre os valores que são praticados na região. “Muitos proprietários buscam amigos ou o porteiro do prédio para saber o valor dos imóveis vendidos ali. Mas nem sempre estão adequados aos valores do mercado”, analisa o especialista da Lello.

Com ou sem corretor?
Ao optar por vender sem intermediários, o vendedor terá que fazer os anúncios, atender os interessados, agendar as visitas, negociar preço e cuidar de todo o processo jurídico e burocrático envolvido na venda. Com a ajuda de um corretor, o vendedor arcará com uma comissão de cerca de 6% do valor do imóvel, mas em compensação também não se preocupará com questões burocráticas.

“Dentro dessa comissão existe um pacote de serviços técnicos que ajudam o vendedor a não se complicar com a venda, além de proporcionar maior agilidade na hora de fechar o negócio”, enfatiza Parisi.

Aparência é tudo
Deixe seu imóvel preparado para receber visitas. Manter os ambientes limpos e organizados ajuda o visitante a ter uma ideia do aproveitamento dos espaços e do cuidado com o imóvel. “Se o imóvel está vazio, é importante que uma faxina seja feita antes das visitas. Caso esteja ocupado, é fundamental recolher as roupas do varal, deixar os animais de estimação recolhidos, assim como todos os demais espaços disponíveis para circulação”, diz Clarissa Vieira.

Quando o imóvel tem problemas estruturais e precisa de reforma, não adianta o proprietário insistir na venda sem realizar esses consertos. “O comprador está em condições de barganhar, pois não estamos vivendo um boom imobiliário. É fundamental deixar o imóvel em ordem, senão será mais um motivo para ele pedir mais descontos”, afirma Cesar Caselani, professor de finanças da Fundação Getulio Vargas (FGV).

A aparência impecável também deve ser refletida nas fotos, que podem ser feitas pelo próprio morador ou pelo fotógrafo da imobiliária, que normalmente utiliza equipamento profissional e garante boas imagens 360°, por exemplo.

Igor Freire alerta, também, que os proprietários em geral não colaboram para que o resultado final seja o melhor possível nesse aspecto. E essa falta de colaboração pode dificultar uma venda. “Querem que o trabalho seja feito de forma rápida e que não seja mexido em nada, o que muitas vezes prejudica o que podemos mostrar de melhor.”
 

Matéria de Júlia Zillig, ESPECIAL PARA O ESTADO – IMÓVEIS – São Paulo – SP – 26/05/2019